quinta-feira, 5 de junho de 2008

Agências crescem 8,6% globalmente graças à mídia digital

A despeito do mercado morno, as receitas das agências - de propaganda, serviços de marketing e especializadas em mídia - subiram 8,6% em 2007 em relação ao ano anterior. E esse desempenho deve-se à área digital. Enquanto não é mais surpresa que a receita das agências interativas embalou no ano passado (mais de 26,8% nos EUA), está claro que o mundo digital tornou-se um meio de sobrevivência para as demais agências. Na realidade, no mercado norte-americano, as agências de publicidade tiveram 10,2% de sua receita proveniente da mídia online, em 2007.

Em alguns casos, este número foi maior. Na Goodby, Silverstein & Partners - A Agência do Ano de 2008 pelo Ad Age - os serviços digitais geraram no ano passado 52% de sua receita. A agência de São Francisco trabalha para clientes digitalmente conectados como a Hewlett-Packard Co.
Mais de 860 agências de todo o mundo participaram do Agency Report 2008. 60% delas viram florescer a receita vinda da área digital. Foi esta área que ajudou o sólido crescimento das grandes agências especializadas em mídia. Caso da Aegis Group (que detém a Carat e a Isobar), que subiu uma posição da 7º para a 6º, ultrapassando o grupo francês Havas.
As cinco primeiras colocações do ranking com as 50 maiores agências (e grupos) do mundo ficaram inalteradas em relação a 2006: Omnicom, WPP, Interpublic, Publicis e Dentsu. O Grupo ABC, único nacional na lista, aparece na 21º colocação com receita de US$ 228 milhões e crescimento de 42%.

Entre os movimentos novos do mundo digital contemplados pelo Agency Report 2008, estão a Digitas no topo da lista das agências interativas norte-amercianas. O Publicis Group comprou a agência interativa no ano passado para tornar-se sua bandeira digital em termos mundiais. A Avenue A/Razorfish, adquirida no ano passado pela Microsoft, aparece em segundo lugar. A IBM Interactive, a nova marca da operação digital da IBM é a novidade do ranking.

Fonte: MMOnline

2 comentários:

Carlos Gustavo disse...

Gosto de saber que o mundo digital é valorizado. O valor da internet é muito maior do que se pensa ou se vê aqui no estado.

Val Reis disse...

Sem dúvida... mas o pessoal ainda está meio desligado disso, aqui...